no pain no gain fail
1 Gostou

Por que você deveria evitar a noia do “no pain, no gain”

“No pain, no gain”

Quem nunca viu ou até mesmo usou essa frase nas redes sociais antes/durante/depois do treino, né?

É quase como um brado de guerra! Soldados treinados, armados, de punhos cerrados e prontos pra aniquilar o inimigo!

Mas péra lá: que inimigo é esse? Você sabe se realmente tem um inimigo ou apenas tem seguido a “fitness trend” que impõe objetivos que na verdade não são seus e sim uma cobrança da sociedade? E por que você precisa obrigatoriamente sentir DOR pra ganhar alguma coisa e ser admirado e reconhecido pelo seu “árduo esforço”? 

Veja bem: não estou falando de dar o seu melhor durante seus treinos se o seu objetivo for performance ou até otimização de resultados em perda de gordura, como nos treinos HIIT da vida (que eu amo, aliás). São coisas distintas. Existem treinos que vão provocar dor sim, seja ele um treino de ritmo na corrida, um treino de hipertrofia na musculação ou até mesmo um treino intervalado pra dar aquele chacoalhão no seu metabolismo. Mas não necessariamente você precisa passar por isso se isso não for o SEU REAL objetivo. São escolhas particulares, e o “sofrimento” é opcional e temporário também, porque depois a gente vai evoluindo e ficando mais forte e resistente com o treinamento certo.

O que tem me incomodado mesmo há um certo tempo é essa onda fitness que trata toda e qualquer atividade física como uma guerra maior do que ela realmente é, como uma obrigação a todo custo – inclusive da sua saúde mental e física – e não como algo que deve fazer bem a você acima de qualquer gasto energético ou resultado estético. Como eu disse lá em cima, muitas vezes a gente nem sabe contra qual inimigo estamos lutando, nós estamos apenas seguindo o que outras pessoas dizem que devemos fazer. A gente só sabe que tem que ir lá e encarar, e sofrer, e padecer.

“Conquiste sua barriga trincada em 5 dias com o combo dieta do chuchu + treino seca-gordura da (insta)celebridade Fulana de Tal”, ordenam as capas de revistas femininas.

Mas será é disso que você precisa mesmo? Ou melhor: é isso mesmo o que VOCÊ quer? Porque a gente sabe o quanto a sociedade e a mídia nos cobram pra que a gente se encaixe num padrão que 99% das vezes é irreal – antes, o das modelos de passarela; hoje, o das modelos fitness.

Eu, particularmente, tomo um cuidado gigantesco pra não ser colocada nessa baciada porque tenho sim os meus objetivos, que incluem não só saúde mas estética também (não serei hipócrita), mas eu me policio pra não influenciar vocês com as MINHAS metas pessoais. Quero sim dar bons exemplos, influenciar vocês com coisas boas e motivação/inspiração, mas acima de tudo quero incentivar o pensamento crítico para que vocês façam suas próprias escolhas e se empoderem acima de tudo, que se valorizem independente do tamanho do manequim e das escolhas do dia a dia, porque sem isso a gente não vai a lugar nenhum, acreditem. É, minha gente… Não basta malhar a bunda, o cérebro tem que estar em forma também!

Eu sempre defendi aqui no Vida Fit (e fora do blog também) que o exercício físico deve ser, acima de tudo, um momento de prazer e bem-estar, e até mesmo uma ferramenta pra ajudar no resgate de si mesma. Sim, temos que assumir a responsabilidade para nós mesmos se temos um objetivo em mente (emagrecer, trincar, ganhar performance em um esporte, competir em algum campeonato ou apenas reconquistar sua saúde e qualidade de vida) e temos que nos dedicar sim, vencer a preguiça e as nossas próprias desculpas, mas se sua rotina não for prazerosa, como ela vai se tornar sustentável? Como você vai aprender a gostar dos seus novos hábitos se você não se identifica com eles de fato em algum ponto, se eles não te movem e se não são compatíveis com quem você realmente é? A motivação inicial pode até ajudar, mas depois, quando os seus níveis de dopamina caírem e você precisar dar uma recarga nessa motivação, será que você vai conseguir seguir em frente com o mesmo pique do começo?

Se sua resposta for sim, ficam aqui meus parabéns, de verdade, porque você é uma pessoa realmente acima da média! Mas infelizmente, a maioria de nós não somos assim. Precisamos de identificação porque isso é o que vai nos gerar motivação dia após dia. E olha que até gostando do que fazemos tem dia que é f*da, hein? Normal! Nem todos os nossos dias serão incríveis e energizados.

Minha experiência pessoal e meu amadurecimento

Falo tudo isso porque já dei muito murro em ponta de faca, como a maioria de vocês também já deu ou ainda dá.

Até conhecer a GO e começar a treinar com eles (hoje, eles me dão treinamento em corrida e funcional/muscular), eu vivia pingando de academia em academia em busca de motivação necessária pra ter disciplina e me comprometer com uma nova rotina que eu sempre busquei. Já me matriculei em academias perto de casa (pra evitar a preguiça do deslocamento) e em academias longe de casa (próximo do trabalho, pra evitar a preguiça que ia se abater sobre mim assim que eu chegasse em casa), em academias baratas (pra economizar caso eu não levasse a sério) e em academias caras (pra me forçar a levar a sério e ter mais opções de aulas e treinamentos).

Agora me pergunte se adiantou. Bom, nem precisa – eu já respondo: não, não adiantou.

Eu continuava inventando desculpas pra não ir à academia, a ponto de sentir dores de cabeça reais de tanto que eu me convencia de que eu não podia me exercitar porque eu tava com dor de cabeça. Olha isso que absurdo! Ou então era o clima: “tá muito quente, tô indisposta” ou “tá muito frio, tô indisposta”. E eu tinha essa mentalidade de “no pain no gain” na minha cabeça já, não com esse título, mas sob forma de muitas outras cobranças que eram desumanas e que só me machucavam em vez de servir como trampolim.

Depois que conheci os meninos da GO, bateu aquele “click”. Eu me identifiquei com a corrida de rua porque ela me ensinou (e ainda ensina) muitas coisas e assim, com todo o incentivo e acolhimento dos treinadores e dos alunos da assessoria, passei a ter AMOR pelo movimento e pela atividade física a ponto de não matar treino sob condição nenhuma, faça chuva ou faça sol. Quem me acompanha no instagram @ticianetoledo já deve ter percebido isso =)

Hoje eu me dedico ao máximo aos treinos porque é o que eu amo fazer e porque eu acho que tô ficando boa nisso, modéstia à parte, rs.

>> Já até fiz um post falando por que umas pessoas gostam mais de treinar do que outras, lembram? Se não lembra, leia aqui. <<

Antes de encerrar o dia, queria compartilhar um pensamento meu com vocês: apaixone-se pela sua jornada e pelos seus resultados, e seja sua própria inspiração ❤️ . É legal a gente ter em quem se espelhar pra fazer mudanças que desejamos pra nossa vida, mas essa inspiração pode nos pregar peças e virar uma comparação nada sadia. Digo por mim mesma: é lógico que eu queria já ter chegado no meu objetivo, que nem as lindas @suelynery e @valery_mello, que são super inspiradoras. Eu poderia já estar lá, sim. Mas a realidade do meu dia a dia só quem conhece sou eu, só quem vive sou eu. E eu sei que eu tenho meu tempo pra viver e fazer as coisas acontecerem, e eu não posso querer acelerar o processo. Isso se chama autoconhecimento e amor-próprio. Todo mundo deveria se respeitar quando o assunto é mudança de hábitos e de corpo, consequentemente. Deixe fluir. Se apaixone pelo processo, aprenda a curtir cada etapa, cada ensinamento. Porque nisso a gente fica forte e consistente, e aí, amigas e amigos, ninguém mais pode nos parar . Hoje com orgulho eu digo: sou apaixonada pela minha jornada e pelos meus resultados (por menores que eles sejam), e sou a minha maior inspiração ❤️ E assim eu vou tocando a vida! . #autoestima #amorproprio #valorizesuasconquistas #minhavidafit #missãocorrerdetop #boanoite #desafioCM #saúde

A photo posted by Ticiane Toledo (@ticianetoledo) on

Tem dias que o treino é desconfortável sim porque preciso dar novos estímulos ao meu corpo e preciso sair do que até então se tornou confortável pra mim. Porque estas são estratégias pra chegar aos meus objetivos (seja correr uma meia maratona, baixar tempo nos 10k ou sair do platô dando um boost no meu metabolismo). Porque eu escolhi, por mim e para mim. E por isso eu não sofro com esses desconfortos. Quer dizer, não emocionalmente, só fisicamente por alguns instantes haha

>> Isso me lembrou o post que eu fiz sobre os 5 estágios emocionais da corrida: veja aqui. <<

Veem a diferença?

Hoje eu tenho plena consciência de que não treino pra “amenizar a culpa por estar acima do peso”, nem pra me punir por qualquer coisa que seja. Não vou treinar como se estivesse indo pra guerra. Hoje, eu vou treinar como se estivesse indo fazer algo que eu realmente amo e que vai me fazer bom, e essa perspectiva muda tudo, acredite. Porque quando a gente bota amor nas coisas, tudo flui e se torna natural e MUITO mais prazeroso ♥

Então, paremos de sofrer, né? A vida em si já é bem dura com a gente todos os dias e nós acabamos assumindo problemas que muitas vezes não temos opção de escolher se queremos ou não.

Por isso, quando as pessoas vêm me perguntar sobre “qual exercício é melhor para emagrecer”, eu sempre respondo que o melhor exercício é aquele no qual você se sente bem e se sente motivada a fazer escolhas melhores no seu dia a dia (alimentação, relacionamentos, autoestima e amor próprio, trabalho, carreira etc), independente de gasto calórico. Pode ser correr, dançar ballet, fazer aulas de zumba, levantar peso, jogar squash, lutar kickboxe, fazer pilates ou yoga, enfim… Qualquer coisa que traga alegrias e leveza ao seu dia a dia e que ative em você a vontade de querer melhorar e evoluir sempre. Step by step. Lembrando que a vida não é esse 8 ou 80 todo que pintam por aí. Faça com amor que o resto vem como consequência natural!

E você? O que pensa sobre o tal “no pain no gain”? Concorda com o que eu falei? Se não concordar, deixe seu comentário também porque conhecer opiniões diferentes é tão saudável quanto se alimentar bem e se exercitar =)

motivação emagrecimento mudança de hábitos

Beijos e bons treinos! ♥

2 Comments

  • Kesia Felix

    August 14, 08 2015 04:25:44

    Amando o seu blog. Achei ele fazendo uma pesquisa de receitas fit. Parabéns. Minha incentivadora.
    Beijos

    • Ticiane Toledo

      August 17, 08 2015 11:15:41

      Oi, Kesia! Que bom ler seu recadinho! Fico super feliz <3 Continue de olho por aqui e vamos juntas! Super beijo.

O que você achou?