como melhorar pace na corrida
0 Gostou

“Meu pace não baixa, e agora?”: 7 dicas do treinador para lidar com o platô na corrida

“Queria correr mais rápido, mas não consigo!”

lot-of-feelings

Ah, o tanto de gente que eu vejo resmungando por isso… Essa premissa de que velocidade = evolução é o que pega os iniciantes na corrida. Eles mal aprenderam as técnicas, mal adaptaram o corpo e já querem correr muito e rápido… Easy, tiger! Um passo por vez, se não essa ansiedade vai te desanimar mesmo, não tem jeito.

E se você já corre há um tempo e acha que chegou a um “platô”, calma também, porque tudo tem solução – e se você tiver o apoio de um treinador capacitado (no meu caso, a GO Assessoria Esportiva ♥), as chances de você voltar a evoluir (desde que controle a sua ansiedade e não faça nenhuma loucura e se machuque) são grandes!

Por isso, eu pedi ao Fernando Oliveira, treinador e sócio-diretor da GO, algumas dicas básicas sobre esse assunto pra gente colocar os pingos nos “is” e acalmar a ansiedade e as neuras da nossa cabeça:

1. O “platô” da evolução do pace pode estar associado a muitos fatores, como alimentação, stress no trabalho, individualidade biológica etc. Cabe ao professor avaliar todas essas possibilidades e propor  as mudanças necessárias ao treinamento do aluno.

2. A evolução é totalmente individual! Podemos reduzir toda semana nosso pace, mas isso tem um limite: dor e lesão. E para recuperar essa lesão e melhorar a dor, levaremos mais tempo se seguíssemos o tempo correto da nossa evolução natural. Um lema muito legal para não cair nessa: “Vamos devagar porque temos pressa de chegar!”

3. Se você está começando, esqueça questões como pace e velocidade da sua corrida.

4. Se você já corre há algum tempo, comece a monitorar seu pace para controlar sua evolução de forma gradativa e constante.

5. O treinamento em si é o mais importante do que a estrutura física/biotipo: devemos aperfeiçoar nossas qualidades e trabalhar nossas dificuldades. A orientação correta do professor com relação ao treinamento faz toda a diferença.

6. Além da sua dedicação e comprometimento com os treinos, seu pace depende muito do seu objetivo (se você deseja corridas de longas ou curtas distâncias, por exemplo).

7. Tudo em seu tempo. Não adianta dar uma passada maior que a perna. Queremos corredores por muito tempo, não corredores rápidos por um curto tempo. Saúde e qualidade de vida se conquistam aos poucos, pois o que vem rápido se perde mais rápido ainda.

Viram só? É tudo super simples. A gente que complica as coisas nas nossas cabecinhas sobrecarregadas de (auto)críticas e ansiedades sem razão.

Acho que acima de tudo, você precisa responder a algumas questões pra si mesmo(a): “Por que eu corro? Quais meus objetivos com a corrida? Minha intenção é superar meus limites pessoais e viver com qualidade ou provar algo a alguém?”

Principalmente em tempos de redes sociais, onde fulano quer ser melhor que o mundo todo pra ganhar mais likes, mais seguidores e mais audiência, temos que nos segurar ao impulso de fazer parte desse movimento todo santo dia. A velha frase das nossas mães faz muito sentido hoje em dia: “você não é todo mundo”Então respeite-se. Dê tempo ao tempo. Dê tempo ao seu corpo. Saia da zona de conforto, mas cuidado pra não entrar na zona de perigo da sua saúde (física e/ou mental). E acima de tudo: pare de se comparar aos outros!

Sobre se comparar aos outros, engana-se quem pensa que eu sou imune a isso, viu? Eu já sofri MUITO com isso e até hoje ainda me pego com velhos padrões de pensamento e comportamento. Esse é um exercício diário que temos, assim como o treinamento físico. No meu caso, trabalhei muito na terapia e hoje tenho reforçado muito nas sessões de Coaching (minha coach é a Thais Ricci, uma fofa!)

Hoje eu sei que, pra mim, correr não significa ser melhor do que ninguém, mas ser melhor do que eu mesma fui um dia, quando era sedentária e cheia de limitações e medos na minha cabeça, quando eu achava que jamais conseguiria correr e quando achava tudo quanto era desculpa pra faltar à academia.

Essa é a minha REAL motivação. É por isso que eu tenho prazer de verdade em me exercitar e fico mais animada ainda quando vejo os resultados: não falo nem de estética, mas da força que eu ganho (hoje já consigo fazer flexões de braço completas e sem ajuda dos joelhos, olha que coisa linda!), da resistência, do meu cardio que tá ótimo pra uma pessoa que sofre de asma e bronquite, do meu joelho que tá super forte e sem dores alguma.

Também tenho dias bons nos treinos, outros que não adianta que não vai sair MESMO. Mas paciência! Somos pessoas reais e ninguém aqui tá treinando pras Olimpíadas, né? A gente treina pra ser feliz e ter saúde! Altos e baixos vão sempre existir, seja no treinamento físico, seja no seu emocional. E a gente precisa aprender a aceitá-los e a lidar com eles. Lembram que já escrevi sobre isso neste post AQUI?

ONTEM x HOJE — Como contei pra vocês, ontem o treino de ritmo deu ruim e o Coach André @gopersonal me falou pra gente repetir hoje. Acordei com medo de ir e falhar de novo, mas eu tinha que fazer a minha parte na #go21k. Então eu fui. Com menos expectativas, mas fui! E não é que deu certo? Hoje TUDO encaixou! . A meta era completar 7k num ritmo de 5’40″/km, e eu consegui ficar na média dos 5’22″/km ~tranquilamente~ (dentro dos padrões de um treino desse tipo, claro, haha) . Mais uma vez a corrida me reforçou uma lição: viva um dia por vez, e jamais desista do livro inteiro por causa de um capítulo ruim! Que tal pensarmos mais assim num dia mais down, hein? Nos treinos, na dieta e na vida . #minhavidafit #go21kSP #running #lovetheburn #meuremédio #stayfocused #garminselfie

A photo posted by Ticiane Toledo (@ticianetoledo) on

Então, converse com seu treinador e não tenha medo de falar sobre as suas dificuldades, ansiedades, limitações. E, acima de tudo, relaxe e curta o percurso. É isso que nos leva à evolução (em todos os sentidos) ♥

Bons treinos!


 

Lembrando que os leitores do blog têm direito a 15 dias de treinamento FREE com a GO, tanto presencialmente aqui em São José dos Campos quanto a distância. Então aproveite o embalo e vem com a gente!

* Para treinamento presencial (apenas SJC), acesse: http://bit.ly/free-sjc

* Para treinamento a distância (online), acesse: http://bit.ly/free-on

O que você achou?