sedentarismo
0 Gostou

Efeitos do sedentarismo no cérebro

Que a prática regular de atividades físicas traz inúmeros benefícios ao nosso corpo, como um todo, a gente já está careca de saber e ficar falando aqui. Acho que todo mundo já entendeu essa lição, né? Pelo menos vocês que estão aqui com a gente já estão craques nisso (seus lindos!).

Há alguns dias atrás, recebi por uma amiga o seguinte artigo no site do NY Times: How inactivity changes the brain (Em português: Como a inatividade altera o cérebro). O texto na íntegra (e em inglês) pode ser lido aqui, mas vou resumir a história para vocês:

O artigo relata os resultados de uma pesquisa feita por cientistas dos Estados Unidos e Austrália, que queriam entender melhor os efeitos do sedentarismo no nosso cérebro. “Será que a inatividade não apenas provocaria alterações metabólicas e físicas, mas também mudanças no funcionamento do nosso cérebro?”, os pesquisadores devem ter se perguntado. O aprofundamento é interessante e faz a gente pensar bastante sobre a forma como conduzimos (ou deixamos ser conduzidos) a nossa saúde física e mental.

sedentarismo

Então, os cientistas estudaram o comportamento de ratos por três meses. Os ratos foram divididos em dois grupos: ativos e sedentários. O grupo dos ativos ficou em uma gaiola com uma roda de corrida (a “esteira” dos ratinhos), que era usada quando os ratinhos sentiam vontade. Enquanto isso, o outro grupo não tinha a rodinha à disposição e ficou sem atividade.

Quando o período de testes acabou, os pesquisadores foram analisar os cérebros das cobaias para saber se era possível identificar alguma mudança entre os grupos.

E eis que eles encontraram! No grupo de ratos sedentários, os neurônios de uma região específica do cérebro responsável por controlar a pressão arterial tinham se modificado de tal forma que poderiam estar induzindo o aumento da pressão arterial e até mesmo contribuindo para o desenvolvimento de doenças cardíacas.

Interessante, não?

Quanto mais a gente entende o funcionamento do nosso corpo, como um todo mesmo, mais compreendemos que essa máquina precisa estar em movimento para não enferrujar e perder suas peças e também suas funcionalidades.

Sim, nós sabemos que ratos e humanos são diferentes, mas já é um grande passo para que surjam outras pesquisas e descobertas sobre o assunto! Toda tentativa é válida, principalmente se for para conscientizar as pessoas sobre a importância de adotar hábitos e comportamentos saudáveis. Não acham? 😉

E se você ainda não pegou gosto pela coisa, aqui tem 14 dicas para tornar seu treino mais agradável.

Bóra movimentar, gente!

Beijos e bons treinos.

O que você achou?