dicas de corrida para iniciantes
2 Gostou

Minhas dicas de corrida para iniciantes

Muitas pessoas veem meus posts sobre meus treinos e dizem que querem correr, mas não sabem como, tem dificuldades, me pedem dicas e tudo mais. Não sou atleta profissional e nem pretendo ser, mas resolvi escrever esse post pra compartilhar algumas coisas que eu aprendi ou por amor ou pela dor nesse meio tempo envolvida com a corrida de rua.

1. Vá devagar e curta sua evolução

Já contei pra vocês no post dos meus 12 meses de pós-operatório do LCA que antes eu não conseguia correr nem 200m sem morrer, né? Ou quando corria era super no pace da tartaruga (o que pra mim já era ótimo e eu me achava super foda haha). Depois, conforme fui me dedicando aos treinos, fui melhorando até conseguir fazer o que eu faço hoje (meu melhor tempo nos 10k até agora foi 53’07”, segundo o tempo oficial da prova em questão) e já sonhar com a possibilidade de bater a meia maratona em sub-2h.

No começo pode e vai ser desconfortável. Não vou mentir dizendo que depois vai ficar sempre confortável, porque dentro da planilha do treinamento temos alguns treinos bem desgastantes, como o treino de ritmo, por exemplo. Mas em geral, depois você vai adquirindo resistência pra percorrer distâncias cada vez maiores e vai conseguindo ser cada vez mais veloz, se isso for seu objetivo, claro.

2. Treino é treino, prova é prova

Falando em velocidade, um dos meus maiores erros era querer arregaçar nos treinos como se eu estivesse em uma prova. Veja bem: treino é treino, prova é prova. E cada tipo de treino tem sua razão de existir. Vai ter treino onde você vai ter que apertar o ritmo até ficar realmente desconfortável, e vai ter treino em que você vai poder relaxar e fazer mais de boa. O mesmo vale pra distância percorrida.

Essa foi uma lição que eu custei a entender por causa da minha afobação em querer aumentar distância e reduzir tempo, tudo na mesma hora. Mas depois que consegui absorver essa informação, acabou que isso se tornou uma das lições que a corrida trouxe pra minha vida.

Já nas provas, se o objetivo for baixar tempo, daí você “taca-le pau” sem medo de ser feliz, só tomando cuidado mesmo pra não exagerar e se lesionar ou passar mal.

3. É barato, mas você precisa comprar certo

Correr é um esporte relativamente barato. Pra começar, você só precisa de roupa e um par de tênis, basicamente. Se tiver algum equipamento pra monitorar seu treino, melhor ainda: pode ser um aplicativo do seu smartphone, um monitor/cronômetro simples.

A corrida só fica cara se você quiser. É o meu caso, que não posso ver shortinho/saia de corrida ou tênis que já viro a maníaca do cartão de crédito haha

Até o momento, meus equipamentos são:

– Tênis: 2 Nike Free Flyknit 5.0; 1 Adidas Energy Boost 2; 1 FILA Kenya Ribbons Nandi.

– Roupas: camiseta da equipe e outras camisetas, top, saia ou short, meias.

– Acessórios: viseira, fone de ouvido e arm-band pra iPhone.

– Monitor de treinos: aplicativo Nike Run (gratuito na AppStore)

Lógico que quero sempre melhorar meus equipamentos, mas tento me controlar pra não entrar na compulsão. Porque além desses “mimos”, a gente ainda tem que encarar as inscrições das provas – e é muita prova legal pra pouco orçamento =(

Então, se você tá começando agora, não precisa comprar tênis de R$ 1.000,00 (mesmo porque nem é isso que representa a qualidade do tênis, viu?) nem o monitor de treinos mais top do mercado, viu? Vá se equipando aos poucos. E se você for treinar todos os dias (corrida ou não), o ideal é que tenha dois pares de tênis pra dar um descanso ao calçado e aumentar a vida útil dele. Aqui nesse post tem tudo explicadinho e tem várias outras dicas pra você escolher seu tênis de corrida.

4. Alimente-se

Não tem muito o que falar sobre isso, né?

Independente da sua linha alimentar (seja ela lowcarb, paleo, ortomolecular, funcional, frango com batata doce, whatever), lembre-se que a alimentação é importantíssima pra você ter saúde e conquistar seus objetivos na corrida. E se você não tiver ideia de como fazer isso ou simplesmente quiser dar um upgrade na sua alimentação, procure a orientação de um(a) nutricionista ou nutrólogo.

5. Não se esqueça de fortalecer

O fortalecimento muscular é de extrema importância pra nós que corremos, principalmente por se tratar de um esporte de alto impacto. Precisamos proteger nossos ossos, articulações, tendões e ligamentos. Por isso, invista algumas horinhas da sua semana na musculação, treinamento funcional ou pilates.

Com isso, você vai melhorar a sua postura e dar mais estabilidade e força ao seu corpo pra poder correr em segurança e minimizando riscos de lesões e desgaste do seu corpo.

6. Tenha metas

Correr por correr não tem tanta graça pra muitas pessoas que eu conheço. Eu, por exemplo, me motivo por metas – e elas são as minhas provas-alvo.

Encontre a sua meta. Não precisa ser necessariamente igual à minha ou à da amiga. Sua meta pode ser simplesmente emagrecer ou melhorar seu cardio, por exemplo. Tudo vai do que você espera do esporte na sua vida =)

7. Aproxime-se de outros corredores

Se você quer mudar de hábitos, cerque-se de pessoas com hábitos que você deseja alcançar.

Acha exagero? Que nada! É o tal do “monkey sees, monkey does”, como dizem os americanos (algo como “macaco vê, macaco faz”), graças aos nossos neurônios-espelho e nossa necessidade de inclusão em grupos sociais. É mais fácil você conseguir emagrecer estando perto de pessoas com o mesmo objetivo que o seu porque assim vocês vão se apoiar e se ajudar. Se você sair com seus amigos que todo dia comem pizza, dificilmente vai sair ilesa da pizzada, certo?

O mesmo vale com a corrida. Estar em contato com outros corredores, iniciantes ou mais avançados, vai te estimular a continuar em frente com a sua meta e com seus treinos, vai gerar maior identificação por pertencer a um grupo social, vai te dar novos amigos e muita informação, inspiração e apoio.

8. Tenha suporte profissional

Como eu sempre digo, sair correndo é diferente de correr. Se você não consegue ter disciplina pra treinar sozinha, se sente insegura com isso ou apenas deseja ter orientações de quem entende do assunto, procure uma equipe de corrida ou treinadores que manjem tudo do assunto. No meu caso, tenho a GO ao meu lado e não troco por nada nesse mundo! ♥

9. Se até seu carro tem revisão anual, você também deve ter!

Por fora você pode até parecer bem, mas e por dentro, como será que sua saúde anda? Faça sempre seus checkups básicos com seu médico de confiança, principalmente se você tiver algum histórico familiar de problemas cardiovasculares. Isso porque estamos falando de uma atividade que pode ser bastante intensa dependendo do seu treinamento.

 

E você? Tem alguma dica pra compartilhar com a galera que tá começando a correr? É só deixar nos comentários aqui embaixo!

E se você achou esse post útil, já sabe: compartilhe, por favor! ♥