alimentação saudável shopping
1 Gostou

Como comer no shopping sem sair da dieta

110% das pessoas que começam uma reeducação alimentar têm medo de comer fora de casa. (eu não sou o IPEA, mas também sei chutar porcentagens, viram? :P) 

Mas sério agora: quem nunca ficou com medo de aceitar aquele convite para almoçar no shopping com a turma do trabalho ou com as amigas ou com quem quer que seja, por qualquer ocasião que seja?

Eu tinha o mesmíssimo medo, mas agora já superei depois de ter adquirido mais segurança com relação às minhas escolhas e, principalmente agora, depois de ter controlado as crises (de compulsão alimentar, para quem está chegando agora aqui no blog).

Tenho postado no meu Instagram (@ticianetoledo) algumas sugestões de refeições mais saudáveis para se comer no shopping sem “ser obrigada” a cair de boca num BK ou numa Pizza Hut e depois ficar se lamentando porque não consegue emagrecer ou que tem dificuldade de perder barriga.

+ Leia também: 12 lições que aprendi com a reeducação alimentar

Algumas dicas práticas:

1. Coma os alimentos que você comeria em casa ou no restaurante por quilo: salada, proteína, carboidratos, cereais integrais etc. Às vezes eles podem vir em outro formato (como um wrap ou um crepe, por exemplo). Não é só porque você está no shopping que precisa ignorar aquilo que já SABE que faz bem ao seu corpo e que aproxima você dos seus objetivos. Quando estamos tranquilos com a nossa escolha (exemplo: eu escolhi fazer reeducação alimentar) e estamos fazendo por nós, é a nossa prioridade, vamos levar a mentalidade para qualquer ambiente ou ocasião – por mais difícil que seja principalmente no início.

photo 4

2. Evite frituras: é o que mais tem nas praças de alimentação, não é? Dentro de casa ou fora, fritura não faz bem para ninguém. A menos que essa seja a sua refeição lixo, daí você precisa ser inteligente e estratégica para saber que se consumir o “lixo” naquele dia (uma quarta-feira, vamos supor), o ideal seria ter que segurar as pontas no final de semana, incluindo o almoço de domingo na casa da vó que arrebenta na macarronada. Faça suas escolhas. Só você é responsável por elas. 😉

photo 1

3. Mantenha distância: tem alguma lanchonete que atiça suas lombrigas? Então sente-se longe dela e não faça contato visual 😛 Isso ajuda, eu garanto. “A ignorância é uma benção.” (rs)

photo 2

4. Quer comer massa? Coma, mas com consciência e consistência: saiba escolher sua massa e não passe vontade. Opte pela massa integral e ingredientes/molhos/acompanhamentos menos gordurosos e calóricos. Por exemplo: quando eu vou ao Spoletto, peço o fusilli integral (que eu AMO) e peço ingredientes como brócolis, milho, palmito, queijo minas, peito de peru, cenoura, tomate; molho às vezes eu nem coloco sinceramente (fica alho e óleo), mas quando coloco, equilibro com o molho de tomate mesmo (o branco é muito mais denso e calórico, sem falar que é um prato cheio para quem tem enxaqueca ou sofre de intolerância à lactose). E lógico, sem aquelas torradinhas deles (rs). O mesmo vale para os crepes vendidos em shopping, ou outras massas.

photo 3

5. Baked Potato – pode ou não pode?: é a mesma questão do macarrão ali em cima, basicamente. A batata é um carboidrato legal que as pessoas endemonizam por falta de conhecimento, porém possui alto índice glicêmico – ou seja, é transformado rapidamente em açúcar e cai quase que direto na corrente sanguínea (para quem tem resistência insulínica, por exemplo, é melhor evitar até a situação se regularizar; digo por experiência própria!). O interessante aqui é tomar cuidado com o recheio: escolha uma proteína boa e menos elementos gordurosos/calóricos ou que afetem seu bem-estar de alguma forma (alergia ou enxaqueca, por exemplo). Eu, Ticiane, nunca comi uma baked potato na vida (por falta de vontade mesmo), mas sei que a proteína (recheio) vem em menor quantidade que o carboidrato (batata), então provavelmente esse tipo de refeição vai proporcionar uma saciedade menor.

photo 5

6. Bebidas: Light, diet ou zero (já falamos sobre eles, relembre aqui)? Suco de caixinha/latinha? Na minha humilde opinião, nenhum desses. Na dúvida, vá de suco natural. Eu, particularmente, adoro fazer umas misturebas nos sucos: de suco verde a abacaxi + gengibre + capim cidreira, e por aí vai. Acaba sendo delicioso e super funcional 🙂

Restaurantes saudáveis em shoppings:

1. DNA Natural: http://www.dnanatural.com.br

2. Seletti: http://seletti.com.br

3. Salad Creations: http://www.franquiasaladcreations.com.br

4. Equilibrio Gourmet (não encontrei site; não sei se é rede, mas sei que tem no Vale Sul Shopping, daqui de São José dos Campos).

(Quem tiver mais sugestões, manda nos comentários que eu atualizo, ok?)

Sobre preços: sim, acaba saindo mais caro do que comer em casa. Fato. Com relação a comparação de preços entre esses restaurantes e os fast food da vida (BK, MC e afins), eu não tenho ideia. Mas se você é desses que compara preço em vez de qualidade, apenas responda: você colocaria uma gasolina lixo na sua Ferrari? Pois é. O SEU CORPO é uma Ferrari. Portanto, abasteça-o com o melhor combustível disponível no mercado 🙂

E depois dizem que, para se levar um estilo de vida saudável, a gente precisa ser limitado e não pode comer fora de casa, né? Opções temos aos montes! Basta que a gente consiga controlar a nossa comida, e não deixar que a nossa comida nos controle. Não é fácil, mas você consegue!

Bom apetite! 😉

2 Comments

  • Gabriela Maia

    November 26, 11 2014 07:29:14

    Eu gostei das dicas. Mais subway pode ? As coisas que tem lá são saudaveis no meu ver …

    • Ticiane Toledo

      November 28, 11 2014 08:07:18

      Oi, Gabriela! Fico feliz que tenha gostado 🙂

      Sobre o subway: acho que ele é a opção MENOS pior em se tratando de lanches rápidos. Como tudo lá precisa ser conservado por um tempo maior (pães, carnes e embutidos), acredito que tenha uma quantidade maior de aditivos químicos e bastante sódio. Mas no final das contas, tudo vai da escolha que você faz: se pede o de 15cm ou o de 30cm, se pede com pão ou sem pão, o recheio, os molhos etc.

      Eu sigo a regra do equilíbrio: uma vez ou outra não faz mal. Não vale é comer todo dia 😉

      Beijocas!

O que você achou?