bella falconi celulite gravidez
0 Gostou

O que a celulite da Bella Falconi diz sobre você

“Bella Falconi tem celulite divulgada em imagem de programa de televisão”

bella falconi celulite gravidez

(reprodução) Bella no programa Encontro com Fátima Bernardes, na Rede Globo, em janeiro de 2015.

Sobre isso, tenho 3 comentários:

1) Bella é uma mulher normal e REAL, logo, sempre terá celulite. Sim, você pode ter 10% de gordura corporal e muito provavelmente terá celulite em alguma parte do corpo. É a natureza feminina. Aceitem que dói menos.

2) Bella está grávida. Pra quem não sabe, a gravidez transforma a mulher em uma bomba hormonal e isso contribui não só pra aumentar nosso peso, como nossa porcentagem de gordura corporal e também o aparecimento de celulites e até estrias. Faz parte do processo e a recompensa por passar por tudo isso, dizem as mães, vale muito a pena.

3) As conquistas de uma pessoa não se resumem ao seu corpo, por mais que hoje em dia – principalmente com as redes sociais altamente visuais – a gente queira acreditar nisso. Falo isso por mim mesma. Eu não me resumo aos 20kg que perdi, assim como a Bella não se resume a um abdômen trincado (agora não mais, desde que ela decidiu ter uma vida menos rigorosa do que levava antes com treinos e dieta restritiva pra manter aquele corpo super seco e definido – o que só fez ela ganhar ainda mais respeito, na minha opinião). Ela não vai deixar de ser menos inspiradora pra muitas pessoas por causa de ter um tico de celulite (se eu tivesse só isso de celulite estaria bem satisfeita!). Ela não vai deixar de fechar trabalhos comerciais por causa disso. O que importa é o que a pessoa constrói em torno de uma conquista, o significado disso, e não a conquista em si.

Eu não conheço a Bella Falconi, sou apenas uma seguidora entre milhões no Instagram. Mas foi impossível não me solidarizar a ela diante dos comentários que começaram a circular na internet quando essa imagem simplesmente viralizou:

“Que decepção! Como assim ela tem celulite? Que enganação! Musa fitness #fail”

Péra. Decepção por quê? Por ela ser uma mulher como qualquer outra? Até onde sei, ela nunca disse ser imune a celulite, oras!

É lógico que nas fotos a gente sempre consegue uns truquezinhos pra sair bem: posição do corpo, altura do smartphone para tirar a foto, iluminação, filtros no instagram etc.

Mas o fato é que a gente só enxerga aquilo que quer ver: perfeição. E ao menor deslize, quando nos lembramos que as pessoas que idolatramos são gente como a gente, vem a decepção, a frustração. Vem a realidade. E a realidade nem sempre é agradável porque nos faz lembrar que somos passíveis de erros e imperfeições, e que temos que batalhar se quisermos melhorar, e não simplesmente esperar por um passe de mágica ou por um bilhete premiado da loteria.

Na verdade, não sei como as pessoas acham que AQUILO é a realidade. Pra mim, essa ilusão de “corpo-perfeito-chapado-barriga-negativa-celulite-free” é uma prisão. Não sei como acreditar nisso pode ser melhor do que simplesmente ACEITAR que as pessoas são normais, cada qual com seu biotipo, seus pontos fortes e seus pontos fracos, suas evoluções, seus “defeitos” – e admirá-las por isso.

A transformação de Bella: ela não era gorda, mas viu que podia melhorar. Acho legal que ela conta como conseguiu chegar onde chegou: acordando cedo, indo treinar, reeducando hábitos e aderindo a uma alimentação espartana (sim, pra chegar nesse corpo, tem que ser bem rigorosa mesmo e abrir mão de muita coisa - não é fácil, nem tão simples assim).

A transformação de Bella: ela não era gorda, mas viu que podia melhorar. Acho legal que ela conta como conseguiu chegar onde chegou: acordando cedo, indo treinar, reeducando hábitos e aderindo a uma alimentação espartana (sim, pra chegar NESSE corpo, com um %BF tão baixo, tem que ser bem rigorosa mesmo e abrir mão de muita coisa – não é fácil, nem tão simples assim).

 

Eu me sinto mais otimista por saber que as minhas inspirações têm duas dificuldades e seus sucessos, porque eu também sou assim. E não porque eu sou “recalcada” (tudo é recalque hoje em dia, ai que preguiça!). Mas por saber que não somos tão diferentes assim. E sabendo disso, aumenta minha convicção de que posso conquistar o que elas conquistaram (não entro aqui em diferenças de biotipo ou de padrão de vida, ok?).

Se a realidade fosse uma capa de revista photoshopada, aí sim, minhas amigas, nós poderíamos entrar em depressão. Pra nossa sorte, não é assim.

A pessoa pode ser “musa fitness”, mas isso não significa que ela seja um robô: como qualquer ser humano, ela vai ter oscilações hormonais, seu corpo vai mudar (conforme seus objetivos ou até mesmo conforme o passar dos anos, afinal de contas, todos vamos envelhecer – aceita isso também que dói menos), ela vai ter TPM, preguiça e vontade de comer bobeiras assim como nós todas.

E na boa? Isso é MUITO mais inspirador do que acreditar que aquela pessoa que a gente admira não sente nada. Não quero me inspirar em pessoas apáticas, que não sentem, que não VIVEM.

Eu busco exemplos reais, que me mostrem que é possível sim superar obstáculos e desculpas e evoluir, que me mostrem que tá tudo bem ter preguiça ou sentir vontade de comer chocolate no meio do dia. Quero me espelhar em pessoas de carne, osso, emoções e celulite – aí sim terei certeza de que minhas motivações são reais e de que nós podemos nos orgulhar dos nossos corpos e de suas imperfeições.

(sim, nós já sabemos disso, mas ainda precisamos nos certificar disso mentalmente every single day)

Quanto a mim, continuo firme e forte com a #missãocorrerdetop, porque eu amo estar em movimento. Porque eu me amo, logo, me cuido. Porque eu quero inspirar outras pessoas a vencerem suas desculpas também, assim como eu me esforço pra fazer todo santo dia.

A ideia não é transformar a #missãocorrerdetop numa ditadura da beleza (já falei sobre isso neste post aqui), e sim numa brincadeira, numa maneira leve de nos lembrarmos de alguns dos motivos que nos fazem levantar da cama todo dia: a liberdade de poder ser quem somos, de correr de top ou de usar biquíni com ou sem barriga chapada , e principalmente a gratidão por termos saúde pra chegar onde queremos chegar (e melhorar nossos corpos e nossa saúde se assim o quisermos).

Podemos sim querer melhorar o aspecto da nossa celulite (apenas melhorar a alimentação e se exercitar já ajudam MUITO, acreditem!), mas sem essa beauty madness toda porque não somos obrigadas, muito menos tapadas.

Sobre mim, a celulite da Bella diz muita coisa. Diz, por exemplo, que eu não sou uma crítica de pessoas pelo prazer de julgar algo que eu não consegui alcançar ou fazer melhor que fulana(o).

E eu acho que esse é o exercício que precisamos fazer diariamente: trocar as críticas pelos incentivos, porque de críticos e de gente mala o mundo já tá cheio!

E então: o que a celulite da Bella Falconi diz sobre você?

1 Comment

O que você achou?