alimentos funcionais
0 Gostou

Alimentos funcionais: saúde no prato

Você sabe o que são os alimentos funcionais?

Alimentos funcionais são aqueles que, além de possuírem suas funções nutricionais básicas pela sua composição química, ainda trazem outros efeitos que beneficiam nossa saúde, a curto, médio e longo prazo.

Daí você nos pergunta: Ok, mas o que isso significa de fato?

Significa que estes alimentos podem nos ajudar a combater e/ou prevenir doenças crônicas degenerativas, como diabetes e até mesmo o câncer. Excelente, não?

Por isso que a gente diz que os alimentos são poderosos defensores da nossa saúde. Se nós soubermos usá-los a nosso favor, dentro de uma alimentação balanceada e inteligente, conseguimos verdadeiras transformações em nossos corpos – por dentro e por fora.

É lógico que esses efeitos benéficos só serão sentidos se os alimentos forem incluídos em uma dieta balanceada que preza pela melhora ou manutenção da qualidade de vida do indivíduo. Ou seja: não adianta comer alimentos que baixem o colesterol se você continua consumindo alimentos pobres em nutrientes do bem e ricos em gordura saturada e colesterol. É uma questão lógica até, né? Afinal, milagres não existem – e duvidem das pílulas ou líquidos mágicos que prometem maravilhas sem comprovação médica/científica! O que existe é a combinação entre conhecimento + consciência + dedicação + disciplina.

alimentos funcionais

Composto x ação x alimento

No site do Ministério da Saúde, encontrei essa tabela que mostra a relação entre o composto x ação x alimento. Vale dar uma conferida, principalmente se você ainda nunca ouviu falar no assunto:

Composto

Ação

Alimentos onde é encontrado

Isoflavonas Ação estrogênica (reduz sintomas da menopausa) e anti-câncer Soja e derivados
Proteínas de soja Redução dos níveis de colesterol Soja e derivados
Ácidos graxos ômega-3 Redução do LDL – colesterol; ação antiinflamatória; é indispensável para o desenvolvimento do cérebro eda retina de recém nascidos Peixes marinhos como sardinha, salmão, atum, anchova, arenque, etc
Ácido a – linolênico Estimula o sistema imunológico e tem ação antiinflamatória Óleos de linhaça, colza, soja; nozes e amêndoas
Catequinas Reduzem a incidência de certos tipos de câncer, reduzem o colesterol e estimulam o sistema imunológico Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto
Licopeno Antioxidante, reduz níveis de colesterol e o risco de certos tipos de câncer, como de próstata Tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho, melancia
Luteína e Zeaxantina Antioxidantes; protegem contra degeneração macular Folhas verdes (luteína). Pequi e milho (zeaxantina)
Indóis e Isotiocianatos Indutores de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama Couve flor, repolho, brócolis, couve de bruxelas, rabanete, mostarda
Flavonóides Atividade anti-câncer, vasodilatadora, antiinflamatória e antioxidante Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja
Fibras solúveis einsolúveis Reduz risco de câncer de cólon, melhora o funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade, pois dão maior saciedade. Cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo, etc; leguminosas como soja, feijão, ervilha, etc.; hortaliças com talos e frutas com casca
Prebióticos – frutooligossacarídeos, inulina Ativam a microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino Extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon
Sulfetos alílicos (alilsulfetos) Reduzem colesterol, pressão sanguínea, melhoram o sistema imunológico e reduzem risco de câncer gástrico Alho e cebola
Lignanas Inibição de tumores hormônio-dependentes Linhaça, noz moscada
Tanino Antioxidante, anti-séptico, vaso-constritor Maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva, caju, soja
Estanóis e esteróis vegetais Reduzem risco de doenças cardiovasculares Extraídos de óleos vegetais como soja e de madeiras
Probióticos – Bífidobacterias e Lactobacilos Favorecem as funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon Leites fermentados, Iogurtes e outros produtos lácteos fermentados

Vale ressaltar que estamos falando de um conceito relativamente novo na comunidade científica, uma vez que as pesquisas em torno dos alimentos funcionais são relativamente recentes e começaram a ganhar importância lá pela década de 1990 apenas. Isso significa que nos próximos anos, muitos outros aspectos da alimentação funcional será descoberta para utilizarmos os alimentos a nosso favor e a favor das próximas gerações! Oremos! 😀

médico do futuro thomas edison

Regulamentação da indústria dos funcionais

Nem tudo o que recebe o rótulo de “funcional” realmente o é. Por isso, é preciso haver uma fiscalização na indústria alimentícia, mais especificamente para as empresas que produzem alimentos funcionais e os colocam em prateleiras de supermercados.

Quem cuida disso aqui no Brasil é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ou Anvisa para os íntimos. E para se obter o registro de um alimento junto à Anvisa, com alegação de propriedades funcionais e/ou de saúde, a empresa deve formular um relatório técnico-científico comprovando os benefícios e a segurança de uso deste alimento, que deverá ser aprovado e validado pela Anvisa. Trata-se de uma segurança para nós, consumidores, e uma garantia de que estamos realmente consumindo um produto funcional e com suas propriedades conservadas integralmente – ou parcialmente, com em alguns casos.

Cabe a nós ficarmos de olho nos rótulos destes produtos industrializados. Devemos nos informar se o alimento que estamos comprando foi validado por profissionais ou empresas competentes. E além disso, devemos seguir as instruções contidas no rótulo do produto para uma eficácia melhor. Instruções de consumo existem por algum motivo e devem ser consideradas.

Dicas de consumo

  • Consuma mais vegetais, frutas e cereais integrais: grande parte dos componentes ativos estudados e listados naquela tabela ali em cima está presente nesses alimentos.
  • – carne vermelha / + soja / + ômega 3: Substitua o seu consumo – ou parte dele – de carne de vaca, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados protéicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3 (a gordura boa que faz bem para o nosso colesterol e para o nosso coração).
  • Cuidado com as porções: os funcionais também devem ser consumidos em porções diárias recomendadas por um(a) nutricionista de confiança que conheça suas necessidades nutricionais e seus objetivos.

Bacana, não? Quanto mais a gente conhece a nossa comida, mais interessante ela fica 😉

“Faça de seu alimento o seu medicamento.”

Hipócrates (460 a.C. – 377 a.C.)

 

Referências utilizadas: 

Ministério da Saúde

Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional (IBNF)

Universidade Federal de Santa Catarina: jornal eletrônico da Empresa Junior de Consultoria em Nutrição.

 

4 Comments

  • GERMANA

    November 04, 11 2015 04:27:28

    Adorei conhecer um pouco das informações aqui citadas, gostaria de saber mais sobre a nutrução fit e os alimentos funcionais.
    atenciosamente Germana

    • Ticiane Toledo

      November 05, 11 2015 10:20:11

      Que bom que gostou, Germana! Conforme as ideias de pauta sobre o assunto forem surgindo, vou postando aqui. Fique de olho! E se você quiser estudar a gastronomia funcional e seus alimentos, preparos e receitas, temos um curso online que acho que você vai gostar: http://www.vidafit.com.br/curso =)

O que você achou?