mitos sobre musculação
0 Gostou

8 mitos sobre a musculação

mitos sobre musculação

Musculação: tem gente que ama, tem gente que odeia e tem gente que fala coisa sem saber. Assim como tudo na vida, certo?

Então bati um papo com o personal Felipe Barreto (que, aliás, foi quem me fez pegar gosto pelo “ferro”) e pedi para ele esclarecer para vocês alguns dos mitos mais comuns sobre musculação.

Preparados? Então vamos lá:

1. “Para crescer (ganhar músculos), é preciso trabalhar os grupos musculares desejados todos os dias.”
Mito. Logo após um estímulo resistido, a musculatura precisa de um tempo para conseguir se recuperar do strees ao qual foi submetido. Geralmente, essa recuperação completa pode levar de 48 horas a 72 horas.

2. “Para crescer, é preciso levantar muito peso, e quanto mais pesado, mais rápido e mais eficaz os resultados.”
Mito. Essa é a falsa impressão da maioria dos freqüentadores de academia: quanto mais peso e menor o número de repetições dentro do seu ciclo de treino, melhores serão os resultados. Mas na prática não funciona assim. São inúmeros os métodos (intensidade) de treino no dia de hoje, o que se deve levar em consideração é a individualidade biológica. Cada pessoa responde bem a um estímulo dado ao seu corpo. Cabe a você procurar um profissional da área para que seus resultados venham com segurança.

3. “Para crescer, é necessário cortar carboidratos e viver apenas de proteína (carne, ovos etc).”
Mito. Para melhor entendimento, podemos falar que ao ingerirmos carboidratos em nossas refeições, ocorre um processo no qual eles são quebrados e armazenados em nossos músculos na forma de Glicogênio muscular, que nada mais é que uma grande reserva de energia e que, na seqüência do processo, irá passar por mais uma transformação final – a famosa glicose. O corpo precisa de energia para realização de trabalho, que é a tal glicose presente na corrente sanguínea, após todo o processo citado acima. Ou seja, sem carboidrato seu corpo ficará sem o principal combustível pra realização de tarefas, sejam elas quais forem. Mas é claro que tomando alguns cuidados sobre alta ingestão tanto de carboidratos como de proteínas. A alimentação deve ser equilibrada. Por isso, procure um profissional da área para ter as melhores orientações e acompanhamento e atingir seus objetivos.

4. “Mulheres precisam tomar hormônios masculinos (testosterona) para ganharem músculos.”
Mito. O fato é que não é novidade pra ninguém que as mulheres não são contempladas com altas taxas de testosterona, assim como os homens, mas não necessariamente precisam fazer o uso de hormônios masculinos para obtenção de hipertrofia. Mas temos que ser realistas que para isso, elas demandam um pouco mais de tempo. Então a dica é: Alimente-se bem, treine SÉRIO, descanse muito bem e procure um PROFISSIONAL para adequar o seu treino. O grande problema que as mulheres apresentam é achar que não podem ou não suportam mais a intensidade dos treinos, quando que ainda não estão nem perto do seu limite.

5. “Idosos não podem malhar com objetivo de hipertrofia.”
Mito. Pelo contrário, a chamada terceira idade é a que deve trabalhar com o objeto de ganho de massa magra e força, pois os adultos a partir dos 50 anos de idade que não treinam regularmente chegam a parder até 0,46kg de massa magra por ano (!).

6. “Os músculos começam a perder tônus após 1 semana apenas sem treinos. Por isso, não podemos nunca mais parar de treinar.”
Mito. Acredito que uma semana seria muito pouco, pois uma pessoa treinada pode ter uma semana de descanso sem prejuízos drásticos nesse sentido. É claro que seria ideal treinar pelo resto de nossas vidas e abandonar o sedentarismo de vez, mas não devemos encarar essa questão como o fim do mundo. A questão é: seja ativo, sua saúde agradece.

7. “Se você parar de treinar, os músculos adquiridos também vão virar gordura em pouco tempo.”
Mito. Músculo não vira gordura, mas você pode os perder e ganhar gordura, isso é fato. Por isso alimentação é o segredo de quem quer sucesso nos treinos, você irá ganhar gordura se comer para isso ou é claro nem citando alguma disfunção do corpo, doença genética ou adquirida.

8. “Para ganhar massa magra, é preciso interromper os treinos de cardio.”
Mito.
 A questão é diminuir a frequência dos treinos aeróbios e dar prioridade para os treinos de hipertrofia. A manutenção da atividade aeróbia é de extrema importância para quem quer o ganho de massa magra, pois quanto mais condicionado seu sistema cardiorrespiratório, mais o seu corpo suportará altas intensidades nos treinos resistidos e mais eficiente será o transporte de oxigênio e de outros nutrientes aos seus músculos (tanto em atividade como em repouso).

 

Muito bom, né? Acho que vai esclarecer muitos pontos de interrogação que existem por aí sobre musculação 😉

E para completar, aqui ainda vão algumas dicas de ouro do personal: 

  • Procure sempre um profissional da área de confiança para orientar seus treinos.

  • Pesquise se so seu professor/personal tem o perfil que você procura, se é comprometido, ético, se vai passar segurança e confiança etc, e busque saber mais sobre as especialidades dele.

  • Preste muita atenção se seu professor/personal realmente treina. Isso é de extrema importância, porque não basta saber  mandar fazer apenas, tem que saber fazer também.

  • Metas e objetivos são importantes. Tenha-os sempre em mente.

  • Não desista: você quer, você pode!

  • Treine sério.

  • Alimente-se corretamente, e de preferência com acompanhamento de um profissional da área (nutricionista ou nutrólogo).

  • Leve o descanso a sério também.

  • Esteja sempre bem alimentado e hidratado antes das atividades

Anotaram tudo? Agora mãos à obra – e ao ferro!

Beijos!

Consultoria: Felipe Barreto, Personal Trainer (cref: 105636-G/SP)

Pós-Graduado em Fisiologia e Prescrição do Exercício – Do treinamento a Reabilitação (UNICID- SP)
Especialidades: Saúde e bem-estar, emagrecimento, condicionamento físico, hipertrofia e definição muscular, treinamento funcional e assessoria multiesportiva.
Email: personal.felipebarreto@hotmail.com | (12) 98190-1945 / 98844-9884

3 Comments

O que você achou?