como parar de sabotar a dieta
0 Gostou

7 coisas para começar a fazer AGORA e não sabotar a dieta

Eu me considero uma pessoa observadora. Pelo menos para o que me interessa, rs. E nas minhas andanças por aí e no convívío social, percebo muitas coisas que as pessoas fazem (às vezes sem nem se darem conta) no ato das refeições – coisas que, se não as atrapalham hoje, com certeza atrapalharão um dia.

Então resolvi escrever esse post para dar alguns comportamentos e hábitos que eu introduzi à minha vida e que me ajudam muito no emagrecimento e no controle do transtorno alimentar:

como não sabotar a dieta

1. Não passe fome

A fome é a pior inimiga da dieta. Já reparou que quando você tá de estômago vazio, a vontade é de comer QUALQUER COISA que passar pela sua frente – menos um prato de salada? Pois é.

A fome é sinal de alerta e stress pro nosso corpo, daí a necessidade de alimentos mais calóricos e em grandes quantidades. Por isso, o ideal é se alimentar adequadamente (sem mistérios!) e evite ficar longos períodos em jejum.

2. Fome ou sede?

Quem nunca sentiu aquela vontade de “comer algo que não sei o que é”? E bem no intervalo das refeições, né? Alguns estudos identificaram que 37% das pessoas costumam confundir sede com fome. E já que seu cérebro não sabe muito bem o que ele quer, vá de água. Você vai se hidratar e ainda vai continuar firme e forte na dieta. Ó que beleza!

3. Concentre-se na refeição

O que você faz durante suas refeições? Lê, assiste tv, mexe no computador ou no smartphone ou se concentra no que está fazendo (ou seja, comendo)? Você se senta até para fazer os lanchinhos entre as refeições ou tem o hábito de comer em pé, sempre na pressa?

Se você faz mil e uma coisas durante suas refeições ou aproveita para fazer aquele “lanchinho rápido durante a tarde” em pé (porque, afinal, precisa ser rápido!), tá na hora de rever seus hábitos. O ideal é fazer com que seu cérebro entenda e associe o que você está fazendo: se alimentando. Concentre-se no seu prato, nas garfadas, na sua mastigação, e evite se dar atenção máxima ao stress e movimentação ao seu redor. Se a gente bombardeia o coitado com zilhões de informações e comandos ao mesmo tempo, ele vai ter que priorizar o foco para aquilo que é mais importante, certo? E adivinhe só: a refeição passa a entrar no piloto automático, e aí são muito maiores as chances de você permanecer com fome porque o cérebro não recebeu a mensagem de saciedade. Daí já viu: fome eterna, ataques à geladeira e alguns centímetros e quilos a mais.

4. Saboreie a comida, sem medo

Muito relacionado com o tópico acima, sobre concentração e tranqulidade ao comer. Mas aqui quero falar sobre SABOREAR aquilo que comemos. Principalmente se for aquela refeição lixo pela qual você esperou a semana inteira. Se você quer comer uma bolacha recheada, coma. Mas coma devagar, deixe derreter na boca, sinta todos os sabores, sensações e até mesmo lembranças que o alimento traz à tona. Curta esse momento, porque ele é seu e você merece. Saboreie. Não deixe passar em vão, porque o seu sacrifício e seus objetivos e metas também não merecem passar em branco, sem importância. Você vai ver que a necessidade de comer em grandes quantidades vai sumir porque aquele momento fez a diferença, teve importância e cumpriu sua finalidade. Afinal, a primeira bolacha do pacote tem o exato sabor da última – logo, você não precisa comer todas para “descobrir” o sabor de cada uma delas.

5. Mexa-se!

Quando você se exercita e sente na pele o esforço feito para queimar aquelas benditas calorias, é natural que você fique com “dó” de recuperá-las comendo uma coxinha com refrigerante na padaria. Além do mais, as droguinhas naturais e do bem (hormônios como endorfina e serotonina) nos proporciam um bem-estar tão grande que até anulamos – ainda que temporariamente – a existência das gordices na nossa vida. Isso sem falar que as atividades físicas ajudam no combate da ansiedade!

6. Cuidado com os produtos light, diet ou zero

Nem sempre eles são bons para a sua dieta, e podem até mesmo fazer você engordar dependendo da quantidade e frequência de consumo. Já falei sobre eles neste postVale relembrar!

7. Peça ajuda

Fazer dieta e transformar seu corpo e sua qualidade de vida (seja lá qual for seu objetivo) não é fácil, porque se não todo mundo faria. Mas também não é impossível, porque temos inúmeros exemplos de gente que foi lá e fez. E não nos enganemos: a dieta depende de nosso esforço individual, de nós por nós mesmos. Não adianta ter a melhor nutricionista e cozinheira em casa fazendo das refeições mais leves e saudáveis do universo se você não está 100% focado em fazer acontecer e fazer do jeito certo.

Ter um estilo de vida saudável não é um processo que dura apenas 24h, e sim 365 dias ao ano. E se os primeiros passos dessa maratona estão difíceis demais para você aguentar sozinho, peça ajuda, seja da família e dos amigos (só aos que não forem sabotadores, ok?) ou de profissionais (como um terapeuta ou um coach de emagrecimento). Não tenha vergonha de assumir que está difícil e que você precisa de uma mãozinha. Você tem esse direito. Use-o! E eu tô aqui também pra ajudar vocês, da mesma forma que vocês me ajudam every single day ❤

"Se o plano A não funcionar, o alfabeto tem mais outras 25 letras. Fique tranquila!"

“Se o plano A não funcionar, o alfabeto tem mais outras 25 letras. Fique tranquila!”

Agora que você já tem essas dicas em mãos, perceba se alguma delas pode ajudar a atingir seus objetivos e metas e comece a mudar, de pouco em pouco, até que os novos hábitos sejam incorporados de vez a sua vida.

E você? Tem alguma dica em especial que super funcione no seu dia a dia? Compartilhe!

 

O que você achou?