Minha vida mudou bastante desde que adotei um simples (mas não tão fácil) hábito: acordar cedo. Nesse post eu conto tudo!
1 Gostou

6 coisas que aconteceram na minha vida desde que eu passei a acordar às 6h da manhã

Dizem que a gente se acostuma a tudo, inclusive a acordar cedo.

Ok, não é todo mundo que concorda com isso, mas eu sou do time que é prova viva de que é possível mudar hábitos e não só se adaptar a sair da cama cedinho como também passar a gostar mais e mais da nova rotina ♥

Pra mim, desde que passei a começar meu dia mais cedo, só tive benefícios atrás de benefícios. Sei que as possibilidades são super individuais (cada um sabe onde aperta o calo) assim como nossas escolhas e prioridades, por isso a intenção desse post não é cagar regras, e sim compartilhar com vocês como a minha vida mudou pra melhor depois de uma “simples” mudança de rotina.

1. Eu me tornei fisicamente mais ativa

A minha primeira missão do dia é treinar, como vocês já sabem. Aliás, os treinos são a minha principal motivação pra acordar cedo: porque amo as atividades que faço e porque elas me ajudam e MUITO a começar meu dia muito melhor – e consequentemente a aproveitá-lo melhor também. No máximo às 6h eu já tô de pé, me arrumando e tomando meu café, me preparando pra ir treinar e começar no melhor estilo a minha rotina e as minhas tarefas!

O fato de eu ter me identificado com uma atividade (corrida, funcional, etc) e com um grupo de pessoas (no caso, o pessoal da GO e o meu personal, o André) me ajudou muito a mudar os meus horários e a minha rotina. Antes, quando eu ia pra academia, vivia perdendo horário e matando treinos, inventando desculpas pra mim mesma e me sabotando. Hoje, não. É como se eu tivesse um compromisso com essas pessoas queridas – mas aquele compromisso que a gente NÃO quer perder por nada, sabe? Porque a gente se diverte e porque faz bem pra gente!

2. E mentalmente também!

Começando o dia mais cedo, especialmente com treinos e endorfina circulando pela corrente sanguíena, consequentemente tenho mais disposição e bom humor pra lidar com o resto do meu dia: trabalho, casa, contas a pagar, pessoas, problemas, imprevistos, estudos… Qualquer coisa! Lógico que isso não significa que eu não me abale mais ou que eu não me canse. Temos dias bons e dias ruins – super nor-mal!

3. Meus dias passaram a render mais

Obviamente, passando mais horas acordada do que dormindo, meu rendimento deu um salto!

Mesmo que hoje em dia a rotina tenha ficado muito mais intensa com a faculdade, mas acordar cedo me ajuda a usar melhor o meu dia. Consigo usar minhas manhãs pra treinar, ir ao mercado, pensar nas minhas refeições ao longo do dia (esse planejamento ajuda muito, acredite), ir ao banco e resolver burocracias que forem necessárias, além de uma arrumação rápida na casa.

Como trabalho em home office, me proponho a começar oficialmente meu horário profissional às 10h e vou até às 17h, 18h no máximo (antes eu até me estendia mais, mesmo não sendo saudável, mas hoje não consigo por causa dos horários das aulas). Então, antes das 10h eu já fiz muita coisa!

4. Minhas noites também!

Acordando mais cedo, ainda mais com uma rotina de atividade física, passei a dormir mais cedo e a priorizar muito mais as minhas noites de sono! AMO dormir, não nego, acordo quando o despertador tocar! hahaha

Consequentemente, cuidando do sono, eu tenho mais disposição pra acordar mais cedo, treinar, trabalhar, estudar etc. É um efeito cascata, né?

Hoje em dia, por causa da faculdade, essas horas de sono sofreram uma redução considerável e eu me sinto mais cansada do que antes, óbvio. Mas tenho adotado algumas medidas sob cuidados do meu endócrino amado, o Dr Aloísio, pra ajudar a manter a qualidade dessas poucas horas de sono que tenho. A alimentação influencia demais também no nosso sono e nos processos metabólicos que acontecem durante esse momento. Então esses cuidados vêm de todos os lados, seja sob forma de um suplemento manipulado seja sob forma de comida (principalmente comida, diga-se de passagem!).

5. Parei de consumir bebidas alcóolicas

Desde que mudei a rotina, o álcool ficou super destoante dos novos hábitos. Notei que, quando eu bebia (geralmente à noite, com amigos), no dia seguinte eu me sentia péssima: retida, com apetite aumentado e com queda no rendimento (principalmente nos treinos) – isso quando não exagerava na dose e acordava de ressaca, né?

Então naturalmente o álcool foi deixando de fazer parte da minha vida. Em nenhum momento eu forcei isso: quando vi, já havia perdido a vontade de beber. Hoje não ligo mais pra isso, sendo bem honesta, mas se em algum momento eu sinto vontade de tomar um vinho, por exemplo, eu tomo sem medo também porque hoje sei dos meus limites e o que me faz bem e o que me faz mal.

6. Minha autoestima aumentou (muito)

Passei a me sentir mais orgulhosa de mim mesma por ter vencido a minha crença de que eu não havia sido feita pra acordar cedo. A cada vez que eu me via treinando de manhã quando a maioria das pessoas ainda dormia, eu me sentia mais forte. Ironicamente, correr com as ruas ainda vazias, sem movimento de pessoas indo e vindo, se tornou muito reconfortante e reforçador do tipo: “eu sou capaz de fazer diferente”.

E realmente, me senti capaz de fazer diferente em muitos outros aspectos da minha vida! Pode parecer bobo, mas é incrível como a nossa capacidade de fazer mudanças diz muito sobre nós e como nós nos conhecemos a cada dia mais nesse processo. Isso fortalece a gente de uma forma que não tem nem como explicar! Aliás, já contei pra vocês como o treinamento físico me empoderou como mulher: relembre aqui!

****

 

Assim como toda mudança, foi difícil no começo e levou tempo. Mas eu tinha minhas motivações pra isso e esse é o ponto essencial: por que você quer mudar? POR QUEM você quer mudar? 

Eu mudei por mim mesma por que queria que meu dia rendesse mais, porque queria encontrar formas de me manter assídua nos treinos (se eu deixar pra treinar à noite, esquece!!!), porque queria me sentir melhor, mais saudável e mais produtiva.

Lógico que nem todo dia eu acordo super disposta e feliz. Tenho meus dias de preguiça também. Os de cansaço então, nem se fala – a vida anda bastante puxada por aqui, como vocês já sabem e me acompanham! Por isso eu aprendi com o tempo a entender os sinais do meu corpo e a diferenciar preguiça e fadiga. Quando é preguiça, eu supero! Quando é cansaço, eu respeito e, ainda que precise levantar cedo por algum compromisso, eu abro mão do que seria fisicamente extenuante nesse momento (no caso, os treinos mais puxados). Em outros dias, quando quero dormir até mais tarde também, como nos finais de semana, eu me permito sem medo de ser feliz! Pra mim, o equilíbrio está nessas pequenas escolhas =)

E você?

  • Você já conseguiu mudar os seus horários de despertar e dormir? Sentiu que a rotina mudou pra melhor também?
  • Se você não mudou, tem vontade de mudar ou tá bom do jeito que tá mesmo?

Conta pra mim! =)

3 Comments

  • Chell

    April 07, 04 2016 05:00:19

    AMO acordar cedo. Acordava 5:30 pra me arrumar, tomar café, correr, ler… ai depois de tuuuudo isso ia trabalhar. Só não consigo me exercitar cedo assim no inverno pq minha sinusite ataca =( com o frio e a respiração quene, ai é tristeza ter q correr de tarde =(

  • Gabriela Paranhos

    May 03, 05 2016 01:02:01

    Oi Ticiane! Nossa! esse texto era tudo o que eu precisava ler.
    Acabei de descobrir seu blog e estou aqui há horas lendo! rs
    Sabe, minha maior dificuldade hoje é fazer meu dia render e me sentir ativa, disposta e confiante.
    Acordo todos os dias atrasada, me arrumo correndo, não tomo café, visto a primeira roupa que vir pela frente, chego atrasada no trabalho e esqueço as coisas pelo caminho. Todos (família, noivo, chefe, amigos) me cobram uma mudança, confiam em mim e sabem que eu posso melhorar, mas tentei de todas as formas e não tenho conseguido. Este mês estou de férias e farei uma experiência para tentar mudar, pois isso me atrapalha de tal forma que me sinto desanimada e derrotada todos os dias. Muitas vezes dou risada e brinco com a situação, mas sei o quanto isso é grave e me faz mal. Seu texto me incentivou muito e me animou a mudar. Vou dar meu melhor esse mês e volto para te contar. Obrigada! E continue com seu blog, pois ele é maravilhoso.
    Beijo.
    Gabi.

    • Ticiane Toledo

      May 04, 05 2016 05:25:35

      Gabi, depois do seu recado, me diz como ter coragem de desistir do blog e da minha rotina, hein? <3
      Se você me animou desse jeito, tenho certeza que vai conseguir se encher de energia por aí também!
      Acredite: é tudo uma questão de começar, ou recomeçar - e recomece quantas vezes forem necessárias. Outra coisa: não coloque na cabeça que você só vai ser bem-sucedida se nao tiver falha alguma nesse processo porque isso é irreal e machuca a gente. Você vai ter dias de preguiça sim, dias mais corridos em que vai faltar tempo e você vai precisar priorizar sua vida/trabalho em vez dos treinos, dias de vontade de largar mão e voltar ao que era antes... Eu também tenho isso! Somos humanas e devemos aceitar essa nossa condição e aprender a conviver com nossos altos e baixos (tem um texto meu que fala sobre isso, já leu? se não, recomendo!) porque eles também nos ensinam muito sobre nós mesmas. Aliás, esse caminho todo pode ser rico em lições e auto-conhecimento se você estiver com seus sentidos preparados pra perceber e o coração e a cabeça abertos pra receber e assimilar tudo.
      Se você se comprometer, você vai conseguir! Do seu jeito e no seu tempo, mas vai.
      Depois quero saber como foi seu mês, hein? Tenho certeza que vai ser um sucesso!
      Grande beijo!

O que você achou?