Você sofre de depressão ou ansiedade? Pois saiba que sua comida pode ser seu remédio ou seu veneno! Conheça os alimentos que você deveria evitar para recuperar sua saúde emocional e física.
0 Gostou

5 alimentos para evitar se você sofre de ansiedade e depressão

Em quadros de depressão ou , cada um reage de uma maneira: há quem coma muito, há quem não consiga comer. O fato é que, independente do seu comportamento diante da comida, não há como viver sem ela. E os alimentos podem ser grandes aliados ou grandes inimigos da sua recuperação por causa da forma como se comportam no nosso organismo e as reações que promovem em nosso metabolismo e na nossa química cerebral.

A seguir, separei uma lista dos 5 alimentos que você deveria evitar se sofre de ansiedade ou depressão:

1) Açúcar

Os açúcares refinados não apenas depletam o corpo dos nutrientes essenciais como também torna a glicemia uma verdadeira montanha russa. Isso pode prejudicar o seu sistema endócrino, provocando as conhecidas sensações de ansiedade, humor depressivo e falta de energia.

Uma vez que as suas glândulas endócrinas estão desequilibradas ou foram afetadas de alguma forma, é bastante comum que haja um aumento de momentos de ansiedade e uma queda na produção de hormônios sexuais – e consequentemente, diminuição de libido.

Além disso, o consumo de açúcar pode aumentar as chances de desenvolvimento de doenças cardiovasculares justamente por afetarem a glicemia e impedir a absorção de nutrientes essenciais para a manutenção da saúde. O açúcar também é conhecido por “alimentar” as células cancerígenas. Por isso, corra dos açúcares – em especial os refinados! Se você conseguir manter uma alimentação lowcarb, mais estável emocionalmente você vai ficar e melhor será a recuperação da sua saúde mental (e física também, consequentemente).

+ Assista hoje mesmo: That Sugar Film

+ Veja 18 formas de driblar as vontades por açúcar

+ Entenda o vício em açúcar

2) Glúten

Muitas pessoas que sofrem de depressão e ansiedade sofrem também de disbiose intestinal. Como já mencionei ali em cima, o eixo cérebro-intestino é muito mais complexo e importante do que podemos imaginar!

A disbiose intestinal é quando o seu intestino está totalmente fora de ordem, com a microbiota enfraquecida e “invertida”: neste caso, há mais bactérias ruins do que boas no seu intestino e elas ficam ali, liberando toxinas que serão espalhadas pelo seu corpo todo, inflamando não só o trato intestinal como também os tecidos que tiverem contato constante com essas toxinas.

Uma vez que o intestino está inflamado, não é possível absorver os nutrientes da maneira adequada pra manter o equilíbrio interno do corpo. E o glúten colabora pra desenvolver ou piorar esse quadro nada animador, uma vez que ele favorece que o intestino se torne permeável porque ele, o glúten, pode estimular as células a liberarem zonulina (uma proteína que pode quebrar as junções fortes do tecido intestinal).

Quando você tem uma alimentação em que o glúten está presente (direta e indiretamente, nos alimentos com contaminação cruzada, tipo a aveia e algumas marcas de polvilho, por exemplo) e ainda soma a isso fatores como stress, inflamações e até mesmo infecções, o seu intestino é o primeiro a padecer. E com ele, o cérebro padece junto.

Aliás, já há estudos que relacionam a disbiose intestinal, a sensibilidade e a intolerância ao glúten com baixos níveis de serotonina – que é um neurotransmissor “anti-depressivo” que ajuda a reduzir a ansiedade e a regular o humor naturalmente.

3) Cafeína

A cafeína estimula as glândulas adrenais (localizadas acima dos rins), que, entre outras funções, mandam sinais excitatórios ao cérebro para que o corpo se prepare pra lutar ou fugir, garantindo a sua sobrevivência.

Doses excessivas e diárias de café estimulam constantemente essa glândulas e, com isso, chegamos a um quadro de fadiga adrenal – o que também provoca um efeito dominó bem ruim no seu sistema endócrino, afetando consequentemente seu sistema nervoso e também o trato gastrointestinal (e já sabemos também que o eixo cérebro-intestino é um regulador importante do nosso bem-estar físico e também emocional!).

Com o sistem endócrino cansado, o corpo todo fica exausto também e aí você não consegue lidar tão bem com o stress (de qualquer tipo) como conseguiria normalmente. Então, seu humor fica instável, você fica triste e/ou irritado com facilidade, a qualidade do seu sono cai absurdamente e, no final das contas, fica difícil até acordar e levantar da cama.

4) Gorduras (as ruins)

A grande maioria dos alimentos industrializados e fast food trazem altas concentrações das gorduras que não queremos no nosso organismo e que vão afetar nosso sistema endócrino também. Falo da tal “gordura trans” (ou gordura hidrogenada vegetal), que vem nos óleos vegetais processados como: óleo canola, óleo de soja, óleo de milho, óleo de girassol… Isso sem falar na margarina, né?

Já as gorduras ditas “boas” são grandes aliadas na recuperação do sistema endócrino, porque ajudam no transporte de hormônios e neurotransmissores. Isso sem falar que nossos neurônios são recobertos por uma camada lipídica e precisam dessa proteção pra se manterem funcionais. Nesse caso, estamos falando dos abacates, das nuts, do óleo de azeite extra virgem, do óleo de palma, do óleo e da manteiga de coco, das carnes animais (em especial se forem orgânicas, de animais criados livres e sem uso de antibióticos ou esteróides), óleos de peixes, os produtos lácteos fermentados e “gordos” (queijos amarelos e iogurtes integrais, por exemplo) e por aí vai. Por isso, a adoção da dieta Paleo e da Low Carb High Fat é uma bela forma de se manter saudável em vários aspectos!

Leia mais sobre gordura vegetal x gordura animal neste post maravilhoso do Dr Souto!

5) Soja

Por mais que a soja seja vendida como um “alimento do bem” e “natural”, em especial aos vegetarianos e às mulheres na fase da menopausa, estamos falando de um alimento transgênico altamente afetado por agrotóxicos e pesticidas, que também é um disrruptor endócrino e de um alimento que aumenta a produção de estrogênio no nosso corpo devido à presença das isoflavonas.

Mas a influência da soja sobre quadros de ansiedade e depressão acontece porque ela suprime a tireóide e prejudica a absorção de iodo, ferro e zinco – minerais que são super importantes para a manutenção do sistema endócrino e do sistema imunológico.

Além disso, devido aos fitatos (fator anti-nutricional), a soja se torna um alimento que prejudica a digestão e, consequentemente, a absorção de seus nutrientes e dos nutrientes de outros alimentos, além de ter potencial inflamatório.

Leia mais sobre a soja aquiaqui e aqui (este, em inglês).

******

Além dos cuidados com a sua alimentação, cuide do seu estilo de vida como um todo para que tudo trabalhe a seu favor e não contra a sua recuperação: melhore a qualidade do seu sono, controle o stress, cuide das suas inflamações (não é porque você não vê que elas não estão lá, certo?), mantenha regulares os seus treinos e atividades físicas, reduza o álcool e elimine o cigarro e, claro, cuide da sua cabeça com a ajuda da terapia!

Com vocês, a palavra:

  • Vocês já passaram ou passam por crises de ansiedade e/ou de depressão?
  • Sentem que a alimentação influencia no bem-estar emocional também?
  • Já fizeram o teste de eliminar esses alimentos como uma das formas de tratar sua ansiedade e/ou depressão?

Deixem suas respostas nos comentários ou me mandem por email, caso não queiram se expor: contato@vidafit.com.br =)

E se o post foi útil pra você ou se você acha que pode ajudar alguma pessoa querida, já sabe: compartilhe sem medo de ser feliz!

Você sofre de depressão ou ansiedade? Pois saiba que sua comida pode ser seu remédio ou seu veneno! Conheça os alimentos que você deveria evitar para recuperar sua saúde emocional e física.

4 Comments

  • Michelli Buzogany Eboli

    March 16, 03 2016 05:00:27

    Açúcar é o meu pecado. To dominuindo sabe? Mas tem dias que me dá uma falta tão grande ue fico doidinha! Boca seca, fico nervosa, angustiada, é terrível. Deve ser assim que os viciados em outras drogas se sentem. Mas quando como muito eu SURTO! Falo muito, fico pilhadona rsss o resto quase não como… só glútem mas pouco.

    • Ticiane Toledo

      March 21, 03 2016 01:18:52

      Abstinência de carbo e açúcar é FODA! Até hoje eu tenho também. COnsigo ficar bem quando to totalmente sem nada no meu sangue, mas quando entra o mínimo já ferra tudo =( Glúten aumenta MUITO meu apetite, que nem açúcar. Não posso com nenhum! E agora ambos têm me dado diarreia. Ou seja: quando como, eu como de teimosa mesmo, porque só me ferro depois e eu SEI disso haha

  • Cristiane de Paula Ferreira

    May 04, 05 2016 05:50:33

    Tici

    Sou ansiosa e depressiva, já fiz mudanças envolvendo açúcar, glúten e lactose tb, não emagreci nada, mas percebi muita diferença. Cheguei ao extremo de passar um ciclo menstrual sem virar o cão, e foi ótimo, nem me reconheci. Tenho disbiose fúngica também, coceiras por todos os lados.
    Mas pelo mesmo motivo voltei a comer tudo isso e ando muito mal, fisiológica e mentalmente.
    Minha droga é a comida, ultimamente ela tem vencido a batalha, mas continuo na guerra…rs
    Ótimo post!!!

    beijos!

    • Ticiane Toledo

      May 05, 05 2016 02:02:43

      Oi, Cris! Obrigada por compartilhar comigo a sua história!
      O lance de mudar a alimentação, ainda mais nesses casos de ansiedade e depressão, não é nem emagrecer, mas fazer com que a comida de fato ajude a estabilizar esses nossos quadros e não piorá-los. Os tropeços infelizmente estão por aí mesmo e podem acontecer, mas o lance é não se agarrar às pedras. Eu também passo pelo mesmo que você, mas não desisto nunca! Estamos juntas nessa =)
      Beijão!

O que você achou?