#GO21K
6 Gostou

#GO21K: planejando a minha primeira meia maratona

Já contei pra vocês lá no Instagram e lá na Fanpage que o desafio foi OFICIALMENTE lançado: faltam apenas 3 meses pra minha primeira meia maratona – e é agora que a brincadeira começa a ficar séria.

E por isso, eu, a GO Assessoria Esportiva e a Dani Germano (blogueira do Zerovinteum) estamos nos unindo num projeto cheio de energia chamado #GO21K, que conta todo o processo de preparação que eu e a Dani vamos passar pra conseguir completar as nossas primeiras maratonas: a minha no Rio de Janeiro, em julho, e a Dani em Buenos Aires, em setembro. Tudo sob a supervisão técnica dos nossos treinadores da GO, claro! Eu, no caso, vou treinar com a equipe aqui em São José dos Campos, enquanto a Dani treina a distância lá no Rio.

Como o start da missão foi dado hoje, nada mais justo do que começar contato pra vocês o meu planejamento pra chegar até o Dia D:

1. Check-up

Imprescindível, né? Além da consulta com o cardio e exames que vou fazer pra ver a quantas bate meu coração, vou passar também por alguns exames de sangue – os básicos e os hormonais.

No caso dos exames hormonais é um acompanhamento + investigação. Acompanhamento porque ano passado eu fiz uma reposição hormonal (testosterona) com meu ginecologista e já tá na hora de ver se as coisas continuam encaixadas. E investigação porque eu ando com alguns sintomas típicos de quando os meus hormônios estavam descompensado (fadiga, mudanças de humor, falta de concentração, irritabilidade, excesso de sono, compulsão alimentar e por aí vai). Então é bom já dar uma checada logo pra arrumar tão logo também, caso algo esteja fora do lugar como eu tô suspeitando que esteja.

Aliás, acho que toda mulher deveria pedir ao seu médico um exame desses, pelo menos uma vez ao ano, ainda mais quem usa pílula anticoncepcional. Eu usava e parei por causa do tratamento, e desde então numa mais retomei o uso.

2. Alimentação

Por mais que a minha alimentação seja bem intuitiva e sem mistérios, vou precisar passar de novo na nutri Renata Merlino pra ela adaptar as refeições à rotina (que em si não muda, mas vai sofrer alteração considerável de esforço físico se pensarmos que hoje eu rodo em torno de 28k/semana e até julho eu devo rodar uns 53k/semana). Não sei se vou ter que suplementar mais do que já faço hoje em dia (whey protein – e por praticidade apenas, admito), mas se ela achar necessário, eu acato as sugestões dela =)

Em breve vou bater um papo sobre suplementação com a nutri como uma das pautas do treinamento pra meia maratona. Então aguardem!

No quesito alimentação, quem vai me dar uma força é o DNA Natural daqui de São José dos Campos (sou cliente assídua de lá, como muitos que me acompanham pelo Instagram já sabem, e frequento sempre porque amo mesmo!).

logo dna natural

DNA Natural: super parceiro nessa correria toda =)

3. Treinamento físico

A rotina em si não vai mudar, como eu já disse:

– Funcional às segundas e quartas com a galera da GO;

– Corrida às terças, quintas e sábados, também com a GO;

– Pilates às quartas-feiras com as meninas do Atelier do Movimento;

– Musculação às sextas-feiras (nesse dia, eu treino com personal, que no caso é o meu treinador que já tá comigo há um ano pela GO, o André – o “meu malvado favorito”)

Todos os treinos que eu faço além da corrida são praticamente um suporte pra eu correr com segurança, com o menor risco possível de lesões (e olha que mesmo assim não dá pra garantir 100% de imunidade a elas, rs), focando sempre em fortalecimento muscular e articular, estabilização e melhora da funcionalidade dos movimentos. Desde que fiz a reconstrução do LCA, tenho isso como minha prioridade, ainda mais praticando um esporte de alto impacto como a corrida e, agora, percorrendo longas distâncias (já tô me preparando psicologicamente pra quando eu tiver que encarar um longo de 28k aos sábados!).

Como 90% dos meus treinos acontecem sob a supervisão da GO, eu tô bem tranquila quanto a isso: já estamos juntos há mais de 1 ano, eles sabem de todo meu background, me treinam desde o início e o feedback com os treinadores é constante. Já estamos fazendo o treinamento de base há algum tempo, aumentando volume gradualmente, respeitando as limitações físicas (em fevereiro desse ano tive uma lesão nos ísquios – pequena, mas demorou pra sarar 100%), sempre com respaldo no conhecimento técnico dos treinadores e na metodologia VO2Pro que a equipe utiliza.

4. Treinamento mental

Como eu disse pra vocês, já tô me preparando psicologicamente pro que vem pela frente.

Falando assim, até parece que é drama, né? Ok, eu tenho uma personalidade “meio” dramática, me julguem hahaha.

Mas a real é que o bicho pega mesmo. Tem dia que vai dar preguiça, tem dia que vai estar frio demais, tem dia que eu vou estar cansada (afinal de contas, tenho todo uma vida pra cuidar fora dos treinos, né?), tem dia que vou estar doente, tem dias que o corpo vai estar pesado, tem dias que o treino vai demorar horrores e não vai encaixar, tem dias que vai ter TPM, enfim… TUDO pode acontecer nesses 3 meses. Desde fatos reais a desculpas e mimimis pra fugir da raia.

Não à toa, eu ando mentalizando a seguinte frase todos os dias várias vezes ao dia:

vida fit motivação fitness

 

Uma coisa que eu tenho muito a favor é que eu AMO me exercitar. AMO correr. Então isso não deve ser um grande empecilho pra mim. Mas como eu sou de carne e osso (e alguns quilinhos de gordura, haha), pode ser que eu queira fraquejar em algum momento. E eu conto com vocês também pra me dar força, viu? ♥

Outro ponto que eu preciso controlar é minha auto-crítica. Bom, como a maioria dos humanos, eu me cobro muito. Exageradamente, alguns diriam inclusive. Quero sempre o melhor desempenho, o melhor resultado, o melhor de tudo… E nem sempre é possível, né?

5. DESCANSO!!!

Em letras garrafais e com várias exclamações porque é algo que eu tenho sido muito negligente comigo mesma, e já sinto no corpo e no emocional os efeitos disso.

Como ando trabalhando até tarde e descansando pouco a cabeça (e quando durmo, não sinto que seja um sono reparador), tenho tido muita dificuldade de acordar cedo (coisa que eu não tinha, vocês sabem), o sono se arrasta ao longo do dia, não importa a quantidade de café que eu tome. E isso afeta tudo, né? Meus treinos, meu trabalho, minha produtividade, minha criatividade, meu humor e, consequentemente, as minhas relações sociais.

Mesmo se esse cansaço todo estiver sendo agravado por uma questão hormonal, eu sei que vou precisar reajustar meu sono porque a reposição hormonal não faz milagre sozinha: é preciso que os níveis de cortisol estejam equilibrados pra que a testosterona seja produzida adequadamente. É por isso que o stress ferra com a gente e com os nossos resultados (catabolismo, acúmulo de gordura, estado depressivo, oscilação de humor etc).

Então eu preciso voltar a ser a minha prioridade e retomar uma rotina que até então eu tinha e que fazia maravilhas por mim: trabalhava até as 19h apenas e depois me desligava de TUDO (celular, internet, email, computador) – me dedicava apenas a não fazer nada, a não pensar em nada, e ir aos poucos relaxando pra ir pra cama mais cedo.

Isso porque o corpo precisa de descanso adequado, ainda mais em uma rotina de treinamento mais intensa como a de uma meia maratona ou maratona. Se não, além de todos os problemas que eu já falei ali em cima, ainda surgem os agravantes das lesões: o corpo não se recupera e não consegue mais se sustentar de maneira segura. Pra algum lado a corda rompe.

E acho que conforme eu for colocando isso nos eixos, eu vou melhorar também a minha organização com a minha vida, inclusive a minha alimentação, que não é ruim, mas anda desorganizada em termos de horários e, com o emocional abalado, as crises de compulsão voltaram. Como eu disse antes, preciso voltar a ser a minha própria prioridade e isso não é mais negociável.

6. Compartilhamento

Não basta treinar – eu preciso compartilhar tudo com vocês! As alegrias e as angústias, as superações e as dificuldades, as dúvidas e os aprendizados…

A ideia da #GO21K é justamente essa: sempre relatar pra vocês as minhas experiências e também trazer posts informativos sobre temas relacionados ao treinamento de uma meia maratona (treino, alimentação, saúde, relaxamento, etc). Então, se vocês tiverem alguma sugestão de pauta, é só deixar aqui nos comentários ou me mandar um email (contato@vidafit.com.br) que eu vou ter o maior prazer em escrever sobre o que vocês querem ler =)

Enquanto isso, acompanhem o meu treinamento pela hashtag #GO21kSP no Instagram e os treinos da Dani pela hashtag #GO21kRJ. Quem sabe vocês não se animam também, né?

Lembrando que os leitores do blog têm direito a 15 dias de treinamento FREE com a GO, tanto presencialmente aqui em SJCampos quanto a distância. Então aproveite o embalo e vem com a gente!

* Para treinamento presencial (apenas São José dos Campos), acesse: http://bit.ly/free-sjc

* Para treinamento a distância (online), acesse: http://bit.ly/free-on

free pass go assessoria esportiva corrida de rua sjcampos

 

 

E vocês? Já correram provas de longas distâncias, ou têm vontade de encarar esse desafio assim como eu? Quero saber! 🙂

#GO21K minha primeira meia maratona rio de janeiro