Você saiu da lowcarb por um período e parece que tudo desandou? Tudo bem, eu também já fiz isso. Por isso, esse post traz táticas que usei comigo e espero que funcione com você também!
3 Gostou

LOWCARB: 10 dicas para voltar à sua dieta depois de um período”off”

Eu já passei por isso: voltei a consumir alguns carboidratos como quem não queria nada e, quando vi, já tinha voltado às orgias gastronômicas da carbolândia. Com isso, voltaram também a compulsão alimentar e alguns quilinhos que eu havia eliminado (depois, veio uma série de acontecimentos que me levaram a recuperar pelo menos 12kg dos 20kg que eu havia perdido – contei neste post aqui)

E, olha, pode acontecer com qualquer um. Às vezes, uma refeição off pode virar um dia inteiro de jaca, que pode se estender para uma semana, um mês, um ano…

Não é fácil voltar porque a gente entra naquele ciclo vicioso que parece impossível de ser interrompido: com mais carboidratos, sentimos mais fome, nos saciamos menos, os gatilhos de compulsão geralmente são ativados… Sem falar que o trigo e o açúcar têm esse potencial de nos viciar mesmo, de fazer nosso corpo pedir sempre mais comida com estes dois na composição. E quanto mais adiamos esse rompimento, mais presos a eles a gente fica – e maiores são os estragos à saúde como um todo.

É difícil sim retomar de onde você parou, mas não é impossível. Dito isso, aqui vão minhas 10 dicas pra voltar à lowcarb (LCHF) depois de um período “off” de férias na carbolândia.

1- Dê um basta na farra

A mudança precisa partir de você. Não tem ninguém que possa fazer a sua parte, nem medicamento mágico que faça “crescer” a motivação de novo aí dentro. Se você não está contente com o rumo que tomou a sua rotina, coloque um ponto final. Comprometa-se. Você já fez isso uma vez quando decidiu mudar seu estilo de vida e adotou a lowcarb, certo? Então consegue fazer de novo. Acredite em você, assim como eu acredito =)

Saiba também que esse ponto final vai vir acompanhado por alguns sintomas e você precisa estar preparada pra enfrentá-los sem fraquejar, por piores que sejam: fome aumentada, vontade de continuar comendo o que você estava comendo (trigo, açúcar, carbos densos), dores de cabeça, tonturas, falta de energia, falta de concentração, humor instável… Lógico que os sintomas variam de pessoa pra pessoa e variam também conforme o tempo que você ficou off da lowcarb – quanto mais tempo consumindo carbos em excesso (especialmente trigo e açúcar), mais você vai sentir os efeitos da “abstinência” desses alimentos nessa fase de retomada. Aguente firme!

2-  Aconteça o que acontecer, seja gentil consigo mesma!

Como eu disse na introdução desse post, perder o rumo é algo que pode acontecer com qualquer um! E quem disser pra você que nunca derrapou, fique com os dois pés atrás. Ou essa pessoa está omitindo alguma coisa ou ela é realmente um ponto fora da curva (e você não deve se sentir menos por causa disso, porque cada um é cada um.

É como dizem: não adianta chorar pelo leite derramado. O que passou, passou. O que você recuperou, você já recuperou. Agora é bola pra frente. Ajuste sua rota e reme!

E se você tem alguém que te inspira nesse processo, ótimo! Mas lembre-se que aquela pessoa deve servir de inspiração e não como motivo pra você se maltratar e ser cruel consigo mesma. Não estamos competindo uns com os outros, ok? Se for para competir, que seja com você mesma, com a sua preguiça, com aquela sua vontade de desistir.

3- Entenda o que te leva a sair fora da rotina

Você já parou pra notar o que acontece antes dos seus “deslizes”? O que precede a jaca? É uma simples falta de organização e planejamento (por exemplo, você foi a uma festa de aniversário com muita fome ou vontade de doces e não resistiu aos brigadeiros e comeu um prato inteiro deles sozinha) ou tem um fundo emocional (alguma situação te chateou de tal forma, por exemplo, que ativou seus gatilhos de compulsão)? Ou quem sabe é uma fome provocada pelo tédio (sim, acontece!)?

Parar pra pensar nisso foi uma das coisas que eu mais guardei do período em que fiz terapia. Sempre existe um porquê, nada é por acaso. A comida não é o problema nem o inimigo, ela é apenas um sintoma de algo mais que antecede o deslize: um motivo emocional, um simples hábito ou uma falta de organização nossa.

Se precisar, registre tudo num diário. Assim você vai ter uma noção melhor e vai conseguir correlacionar fatos e atos.

4- Faça um café da manhã lowcarb delicioso – ou não coma nada

Não sei quanto a vocês, mas começar o dia com uma refeição lowcarb que adoro (e sem estimular a insulina sem necessidade – a menos que você treine pela manhã) me deixa mais animada pra seguir o dia na mesma linha.

Outra coisa que gosto muito de fazer é um belo jejum intermitente pra dar um “reset” e botar a casa em ordem, regulando os hormônios de fome e saciedade, destoxificando o corpo, controlando a compulsão. Funciona SUPER pra mim!

5- Pesquise novas receitas pra se estimular a cozinhar

Por mais que a gente ame o nosso estilo de vida, precisamos nos estimular constantemente. É que nem casamento: por mais que você ame seu parceiro (ou sua parceira), é sempre válido fazer algo pra reacender a chama e não cair na mesmice.

Com a comida é a mesma coisa: pesquise e compartilhe receitas com pessoas que seguem a lowcarb assim como você. Varie os alimentos, os temperos, as formas de preparo, as texturas e até mesmo a apresentação visual dos seus pratos. Brinque com seus sentidos e renove todos os dias o seu foco!

6- Continue em movimento!

É comum que a deprê pela saída da dieta acabe refletindo no seu compromisso com seus treinos. Mas lute pra que isso não aconteça, seja mais forte! Pense que as atividades físicas podem ser um gatilho positivo pra você se manter firme e forte no seu propósito.

Pelo menos comigo é assim: quando eu treino, permaneço focada ou fico até mais focada ainda! É como se eu desse um “refresh” na minha motivação. Santa endorfina! ♥

7- Beba mais água (e chás diuréticos também)

Bom, essa é uma prática que eu, particularmente, gosto muito. Depois de uma jaca bem jacada (rs), invisto nos líquidos não calóricos, como água, claro, e também chás diuréticos como gengibre e casca de abacaxi. Eu me sinto bem fazendo mais xixi nos dias seguintes aos deslizes, principalmente porque eu “incho” bastante e com facilidade quando erro a mão na carbolândia. Então, mando líquido pra dentro! E aí fico de olho na cor do meu xixi pra ver o que ele tá me dizendo sobre meu nível de hidratação (tem post sobre isso aqui).

8- Corte o álcool

Se você não bebe, melhor ainda.

Mas se você exagerou na bebida nesse período off ou no fim de semana/feriado/férias, é válido ficar um período sem ingerir álcool. Até mesmo porque sabemos que o álcool se comporta como açúcar no fígado, e isso não é interessante pra gente, principalmente nesse momento de retomada.

Sem falar que quanto mais carboidratos a bebida contém, mais fome você vai sentir no dia seguinte, mais vontade de comer carboidratos (doces ou salgados) você vai sentir. E isso só vai te prejudicar nesse momento mais fragilizado.

Vocês sentem isso também quando bebem? Eu sentia muito isso com relação à cerveja!

Outro ponto que o álcool exige nossa atenção é que geralmente consumimos essas bebidas em ambientes sociais, que é quando temos mais chances de errar na dose e nos deixar levar pelas comidas disponíveis ali naquela ocasião. Afinal, encontros sociais = comida e bebida, geralmente.

9- Compartilhe esse momento com outras pessoas

Esteja perto de pessoas que possam compartilhar com você experiências e dicas úteis pra passar por essa fase. Pode ser um grupo no Facebook, um grupo no Whatsapp ou até mesmo trocar mensagens com uma pessoa querida que esteja passando pela mesma situação que você ou que já tenha passado por isso e que possa te dar uma forcinha agora.

Você não precisa passar por tudo isso sozinha, lembre-se disso! Você não está sozinha, aliás. Peça ajuda, sem medo e sem vergonha. Tenho certeza que existem pessoas que vão adorar te ajudar, assim como você também vai poder ajudar outras pessoas com seu exemplo, sua dedicação e suas experiências =)

10- Jamais se prive de algo como forma de punição

Uma coisa é você fazer jejum intermitente com um propósito x, outra coisa é você se privar de comer porque quer se punir ou porque se sente culpada demais pra ingerir uma folha de alface. O primeiro é uma abordagem terapêutica e até estética. O segundo é transtorno alimentar.

Tenha bastante consciência dos seus atos e não faça nenhuma bobagem, ok? Lembre-se que estamos nesse caminho porque escolhemos uma vida mais leve, mais prática e com muito mais saúde. A partir do momento em que você vive uma vida de privações (e de ressentimentos por isso), você está indo na contramão dessa proposta. E errar faz parte do auto-conhecimento! Relaxe! Cobre-se menos. Tem dias que a gente acerta, nos outros a gente aprende lições pra vida =)

Essas são algumas das táticas e pensamentos que carrego comigo sempre, principalmente quando dou uma saída da rotina (planejada ou não).

Agora quero saber de você:

  • Você já passou por essa experiência de sair da lowcarb e voltar depois de um tempo ou você, apesar de uma jaca aqui ou outra lá, nunca voltou de verdade pra carbolândia?
  • Tem alguma dica pra compartilhar comigo e com nossas amigas (e amigos também, né, meninos?) que estão lendo esse post e que possam estar passando por esse momento?
  • Qual a sua maior dificuldade em manter uma dieta lowcarb?

Vamos tricotar!

Um beijo e força na peruca!

6 Comments

  • Gabriela Fructuoso

    May 04, 05 2016 08:15:14

    Valeu as dicas! ontem foi niver do meu marido e dei uma ralxada total! Hoje esse texto me ajuda a focar! bjs de uma nova seguidora que tmb vive na busca de saude

    • Ticiane Toledo

      May 04, 05 2016 05:07:55

      Oi, Gabriela! Que bom que o post foi útil pra você! Obrigada por compartilhar comigo isso, viu? E não desanime. Deslizes acontecem e a gente pode aprender taaaaanto com eles =) O problema não é tropeçar e sim se apegar à pedra! Beijão

  • karen duarte

    May 14, 05 2016 12:39:35

    Adorei o site. Excelentes dicas. Tenho um restaurante de alimentação saudável http://levebistro.com e estou sempre em busca de mais conhecimento. Obrigada

    • Ticiane Toledo

      May 17, 05 2016 11:43:22

      Que legal, Karen! Acabei de dar uma olhadinha para conhecer seu negócio. Parabéns! Conte comigo no que diz respeito ao conhecimento: vamos trocar sempre! Bjs

  • Thalita Pimentel

    October 14, 10 2016 09:33:34

    Obrigada pelas dicas, Ticiane! Estou seguindo a “dieta” low carb (montada por minha nutri) por uns 2 meses, e durante a semana levo tudo muito de boa!!! Mas nos finais de semana o bicho pega! Vejo todo mundo comer pão e doce ( e eu amo pão e doce haha s2 s2), e não consigo me controlar muito. Essa semana tomei a decisão de focar no que eu quero, nos meus objetivos e tal, e em ser mais firme! Um beijo
    Se der, visita meu ig: abarriga.que.euquero

    • Ticiane Toledo

      November 18, 11 2016 11:40:47

      Oi, Thalita! Tudo bem? Que bom que as dicas foram úteis. Acho que é normal a gente ter esses surtos, viu? Principalmente no início (2 meses é bem pouco comparado a uma vida de refinados, né?). Então força na peruca aí que vai dar tudo certo. Pense na alimentação como algo leve e não como sacrifício ou punição ou algo pesado. Super beijo!!!

O que você achou?